South by Southwest – uma das mais interessantes e bem organizadas bagunças do mundo

Tempo de leitura: 3 minutos

0 Flares 0 Flares ×

Por um lado é como se uma conferência TED tivesse um filho com o festival Coachella, já que na mesma semana você pode acompanhar uma palestra do futurista Elon Musk e um show da irmã mais nova da Miley Cyrus. Mas por outro lado, é também um pouco como uma noite de amor entre uma feira de start-ups e um evento hippie sobre espiritualidade, já que numa sala estamos tendo tardes de pitching e na rua ao lado estão sendo oferecidas sessões de ioga com o auxílio de cabritinhos. E ainda assim também poderia ser descrita como um híbrido entre um churrasco do 4ª período da faculdade de comunicação e a San Diego Comic Con, já que você tem vários publicitários e jornalistas tentando beber de graça enquanto Mark Hammil, o Luke Skywalker, discute cinema no prédio ao lado.

Resumindo: o South By Southwest é realmente muita coisa e consegue ser todas essas coisas ao mesmo tempo.

Fundado em 1987 e acontecendo anualmente durante o mês de março na cidade de Austin, Texas, o SXSW se tornou um dos festivais mais importantes do mundo exatamente pela sua capacidade de unir numa mesma programação as novidades de campos absolutamente diversos do conhecimento. E isso acontece através da realização simultânea do que poderiam ser 3 eventos separados, um de música, um de cinema, e um de inovação e tecnologia, tudo ao lado de um tradeshow, onde são vendidos ou apresentados produtos do mundo todo e uma intensa programação noturna de festas patrocinadas por marcas e governos que querem atrair clientes e investidores e usam para isso armas que vão desde vídeos institucionais e ações de marketing até golpes baixos como eventos open bar e distribuição de brindes e lembrancinhas.

Mas por mais que seja sedutor para qualquer visitante a perspectiva de beber às custas de governos estrangeiros ou ganhar presentes da sua marca favorita, o que realmente torna especial o South By é o conteúdo produzido e apresentado durante o evento, que reúne vários profissionais de ponta em suas áreas oferecendo não apenas palestras como também painéis e workshops. Se você é um jornalista você pode ouvir especialistas do Washington Post discutindo como lidar com os comentários em portais, se você é um biólogo pode acompanhar cientistas da NASA abordando como o corpo humano se comportaria na ausência de gravidade, se você é um programador pode participar de discussões sobre o futuro da realidade virtual no mercado. E claro, depois também pode beber uma cerveja de graça e ir a um show do Steve Aoki, ainda que isso não vá promover tanto sua vida profissional.

E foi muito provavelmente a soma dessa qualidade e variedade de conteúdos com oportunidades de negócio e diversão que mais uma vez atraiu tantos brasileiros a Austin – somos uma das maiores delegações estrangeiras do evento. É sim um grande turbilhão de informações e opções, mas para quem souber fazer boas escolhas e tiver objetivos claros, o South By Southwest é também um imenso oceano de aprendizado, contatos profissionais e oportunidades de negócio.

Por: João Luis Jr. 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *