Por que fazer planejamento de conteúdos digitais?

Tempo de leitura: 4 minutos

0 Flares 0 Flares ×

O investimento em estratégias e canais digitais já é uma realidade em todo o mundo. Isso inclui criar um site, posicionar-se nas redes sociais, gerar campanhas de anúncios e demais ações que ajudam negócios a crescer. No entanto, é comum que dentro dessas estratégias um fator importante seja deixado de lado: o planejamento de conteúdo.

Quando o assunto é Marketing Digital, as possibilidades são inúmeras. Porém, a efetividade das ações está diretamente relacionada à estratégia de conteúdo utilizada — que muitas vezes acaba sendo pensada apenas no final, já na fase de execução.

Ao negligenciar a importância do conteúdo em um projeto digital, é possível que a comunicação desenvolvida fique desalinhada. Ou, ainda pior, não seja clara para o público que se pretende atingir. Portanto, antes de colocar um projeto em prática, é importante incluir o planejamento de conteúdo como etapa primordial do processo de construção.

Conteúdo nos projetos digitais

Qualquer ação que envolva posicionamento de mercado precisa ter uma definição clara dos objetivos. Isso vale, inclusive, para o cenário digital. É o caso, por exemplo, de um site institucional que está sendo desenvolvido ou da construção de um perfil no Instagram.

Em todos os casos, é necessário considerar quatro questionamentos básicos:

  • O que está sendo feito;
  • Por que está sendo feito;
  • Para quem está sendo feito;
  • Como será feito.

Em um exemplo prático, se o projeto envolve o marketing digital de uma loja de roupas que quer vender mais, as perguntas podem ser compreendidas como: o que está sendo vendido; por quê; para qual público e como será vendido. Tais questionamentos permitem que o projeto/negócio se posicione de forma eficaz. O que facilita a compreensão do público, a construção da credibilidade e a entrega de valor.

E é a partir daí que a estratégia comunicacional começa a ser lapidada. Afinal, o negócio já compreendeu de que forma se apresentará ao mercado e qual tom será utilizado para interagir com o público-alvo. Por isso, planejar o conteúdo permite unificar a comunicação e personalizá-la, evitando falhas que possam confundir o consumidor.

Importância do planejamento de conteúdo

O conteúdo deve ser visto como etapa fundamental de qualquer estratégia. Quando os detalhes de conteúdo são planejados dentro do projeto, e não fora dele, é possível padronizar a comunicação por meio de recursos textuais e gráficos que podem ser aplicados e reaplicados em estratégias distintas.

Um bom conteúdo, portanto, garante a comunicação eficaz e a relevância no nicho em que se insere. Também, a capacidade de resolver um problema do público e de gerar sensação de pertencimento. De criar e reforçar um posicionamento de mercado e, enfim, gerar uma comunidade de defensores da marca.

Ponto de partida para um bom planejamento

Uma estratégia de conteúdo requer, primeiramente, identificar e criar personas compatíveis com o projeto. Diferente do público-alvo, a persona é uma representação fictícia, baseada em dados reais, do público ideal que o negócio pretende atingir. Entenda as diferenças entre público-alvo e persona neste artigo.

Sua definição é importante para personalizar a comunicação, ajudando a organizar grupos por afinidade para criar abordagens específicas. Então, vale se perguntar o que a marca pretende comunicar; que tipos de conteúdo o público gosta de consumir; quais temas geram mais interesse; quais apresentações despertam maior atenção e se a abordagem merece tom mais formal ou informal.

Ademais, o planejamento deve conter detalhes sobre a frequência das ações em cada canal. Vale a pena, então, criar um calendário editorial que facilite o controle do conteúdo.

Práticas de planejamento de conteúdo para os canais mais comuns

Mídias sociais: analisar práticas adotadas por concorrentes, definir quantidade de publicações por período, alinhar conteúdo à identidade visual e ao estilo comunicacional da marca/projeto, escolher temas de interesse e método de apresentação de produtos ou serviços.

Site: definir quais seções deve conter, argumentar sobre o que, pra quê, por quê e como para persuadir o usuário e tornar o propósito do negócio claro, incluindo identidade visual e tom comunicacional.

Blog: definir quantidade de publicações por período, produzir conteúdo focado em resolver problemas da persona — útil, relevante — baseado em palavras-chave para melhor posicionamento nos rankings de pesquisa dos motores de busca.

Email: definir quantidade de emails de acordo com as necessidades do fluxo de nutrição, planejar conteúdos baseados nas fases do funil ou da estratégia de marketing definida.

Mas, lembre-se, determinados canais podem gerar maior retorno para um negócio em relação a outros. Não faz sentido, por exemplo, uma loja de roupas focar na criação de conteúdo para o LinkedIn se o objetivo é atingir o consumidor final. Por isso, é importante avaliar o canal que mais se relaciona com a estratégia de comunicação adotada. Assim, é possível garantir a criação de conteúdos mais assertivos.

Quer saber mais sobre conteúdo e estratégias de marketing digital? Siga a gente no Instagram!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *