O que é Inbound Marketing? Para que serve, como funciona e suas etapas

Tempo de leitura: 33 minutos

0 Flares 0 Flares ×

Devido às mudanças proporcionadas pelo avanço das novas tecnologias e substituição do analógico pelo digital, mudaram-se as formas de relacionamento com as pessoas, com o mundo ao redor, e em especial, na maneira como se consome informação. Isso porque a agilidade da internet e dos dispositivos móveis tem a capacidade de encurtar distâncias e otimizar o acesso à informação.

A partir desses avanços, a publicidade e o marketing foram evoluindo suas estratégias ao longo dos anos, adequando processos e até mesmo alcançando a capacidade de prever o comportamento do consumidor para oferecer um produto ou serviço de maneira menos invasiva, obtendo, ainda, resultados passíveis de metrificação. Assim surgiu o Inbound Marketing, uma das vertentes do Marketing Digital que remodela as formas de interação com o mercado. Entenda melhor:

O que é Inbound Marketing e como esse conceito surgiu

O Inbound Marketing trata de um conjunto de estratégias que têm como foco principal, a criação de conteúdo direcionado a um público alvo específico. Também conhecido como marketing de permissão ou marketing de atração, já que tem como objetivo atrair o interesse em relação ao produto ou serviço que está se oferecendo, a estratégia tem uma diferença marcante para o marketing tradicional: é feito de forma natural e voluntária, ou seja, não utiliza da compra de um espaço publicitário nem da interrupção da informação para a sua divulgação, como um comercial de TV, por exemplo. O próprio conteúdo do Inbound cumpre esse papel. Vamos entender melhor?

O conceito do Inbound, que tornou-se popular nos Estados Unidos em 2009, está baseado no relacionamento e na educação de clientes por meio do conteúdo atrativo. Isso porque, desde a mudança do comportamento do consumidor, está cada vez mais difícil conquistá-lo e convencê-lo a realizar uma compra. O esforço da estratégia, portanto, está em fornecer um conteúdo mais personalizado possível, para que o público alvo entenda a relevância da mensagem e estabeleça uma relação de confiança com a empresa, considerando-a especialista em determinado assunto e uma referência de mercado. Assim, o consumidor se aproxima, cada vez mais, da decisão de compra. A maior vantagem do Inbound? O conteúdo será o meio de atração para que seu público chegue voluntariamente até o seu produto atraído pela sua mensagem, ou seja, é ele quem encontra você.

Para que serve o Inbound Marketing

Já que o propósito do Inbound é fazer com que os clientes cheguem até os negócios, e não o contrário, pode-se dizer que a estratégia tem como objetivo consolidar empresas no mercado digital, criando um relacionamento com clientes engajados para, dessa forma, gerar uma audiência qualificada. Isso porque o objetivo do Inbound é acompanhar a jornada do cliente por meio da produção de conteúdo apropriado e personalizado para cada situação da etapa de compra, aumentando assim, as chances de fechamento do negócio.

Então quais são as principais funções do Inbound? Quando aplicado, o Inbound tem o objetivo de aumentar a visibilidade do negócio, promovendo relevância digital e crescimento a longo prazo. Além disso, a possibilidade de atração de clientes em potencial é uma vantagem da estratégia de inbound, já que a geração de conteúdo proporciona o aumento do número de visitantes, dos novos contatos vindos do site e amplia as chances do fechamento de uma venda. O Inbound, ainda, viabiliza a conversão de leads em clientes (ou seja, uma oportunidade de negócio em venda) já que a produção de conteúdo proporciona a elaboração dos chamados Leads quentes, ou seja, dos contatos que estão mais propensos a realizar uma compra.

Como funciona o Inbound Marketing

Vimos que as estratégias de Inbound criam novas oportunidades de negócio atraindo potenciais clientes por meio de conteúdo de qualidade. Mas você deve estar pensando: como funciona a produção de conteúdo no marketing de atração?

A estratégia, que visa transformar visitantes do site em compradores, funciona por meio de uma metodologia que leva em consideração a jornada de compra do cliente para definir as especificidades de cada estágio do processo de decisão do consumidor: a construção de um funil de vendas. A definição do funil dá previsibilidade ao comportamento do cliente, facilitando a escolha do tipo de conteúdo a ser produzido em cada uma das quatro etapas da metodologia Inbound: atrair, converter, vender e encantar.  

O processo de Inbound Marketing

Os pilares do Inbound: atração, conversão, vendas e encantamento, têm o objetivo de criar valor em todos os estágios de contato da empresa com um potencial cliente. Cada uma dessas etapas possui conteúdos definidos estrategicamente para garantir que a audiência avance para a próxima fase e chegue ao final do processo, ou seja, desenvolva interesse pelo produto ou serviço que a empresa oferece.

Atração

A primeira etapa da metodologia do marketing de atração não poderia ser outra: atrair visitantes para o site. Isso porque, para que haja um relacionamento com os potenciais clientes para convertê-los em compradores, inicialmente é necessário atrair tráfego para o site. Qualquer tipo de tráfego? É claro que não! A produção de conteúdo Inbound atrai audiência qualificada, que já tem algum tipo de interesse pelo produto ou serviço que a empresa oferece.

Como isso é possível já que estamos lidando com desconhecidos? Por meio da produção de conteúdo para blog e redes sociais e da otimização de sites, conhecida como SEO. Essas ferramentas serão o meio para divulgar informações relevantes sobre o produto ou serviço que se pretende vender, dando, por exemplo,  sugestões de uso e valorizando os atributos do item, respondendo, assim, todas as possíveis dúvidas dos consumidores.

Conversão

O esforço da produção de conteúdo personalizado e relevante para a audiência, desenvolvido na etapa de atração do Inbound terá dois principais objetivos: fazer com que desconhecidos tornam-se visitantes regulares dos canais da empresa e o mais importante, que eles identifiquem nesse conteúdo a solução que necessitam para avançar no processo de compra.

Para que isso aconteça, é necessário que esse visitante seja convertido em uma oportunidade de venda, ou seja, que ele se torne um Lead. Isso somente será possível se ele fornecer voluntariamente algum dado sobre si, como o endereço de email. Dessa forma, serão necessários pontos para a conversão no site, em troca, claro, de algum conteúdo relevante, como um material rico (e-book) ou um vídeo treinamento. Como incluir esse tipo de conversão na página? É necessário incorporar landing pages, chamadas para ação, os conhecidos CTA’s ou até mesmo em formulários de contato no site.

Vendas

A terceira e talvez mais importante etapa do processo do Inbound é a fase de vendas. Imagina receber um alto número de contatos e não estabelecer nenhum tipo de relacionamento com eles? Essas oportunidades serão provavelmente perdidas.

Após o visitante ser convertido em Lead, ele está pronto para ser incluído no processo de nutrição de informação, para convencê-lo a realizar uma compra. Por esse motivo, o conteúdo direcionado a esse leads será customizado e enviado pelo endereço de email. Para que isso aconteça, é necessário utilizar uma ferramenta que possibilite a segmentação dos contatos e o disparo de emails, newsletters e até mesmo automações de marketing, quando vários  emails são programados.

Encantar

Em relação às demais estratégias tradicionais de Marketing, o Inbound tem uma característica fundamental, que difere nos resultados e no sucesso do método: a relação com o cliente não termina depois da compra. Tão importante quanto relacionar-se com os comprador até o fechamento da venda, é tratar a fidelização como obrigação, para garantir a satisfação, a qualidade e é claro, gerar uma recompra.  É possível trabalhar com o apoio de uma equipe de sucesso do cliente para criar um relacionamento mais estreito com os consumidores, enviar materiais personalizados, descontos e promoções exclusivas para, ao fim, analisar resultados e métricas e otimizar o processo sempre que necessário.

Funil de vendas do Inbound Marketing

Antes de um cliente tomar a decisão por adquirir um produto ou serviço, ele passa por um processo chamado de jornada de compra. O método parte do princípio de que um comprador precisa descobrir o produto, reconhecer o item como a solução de um problema a ser resolvido e considerar as características do produto para tomar a decisão de compra. Conhecendo as especificidades desse processo, é possível prever o comportamentos dos compradores e oferecer ao cliente, na etapa em que ele está mais propenso a consumir, a solução mais conveniente. Para planejar a definição de conteúdos apropriados em cada fase desse processo, utilizamos o funil de vendas.

Jornada de compra

Primeiro passo para a definição de uma estratégia de funil de vendas de sucesso, o método da jornada de compra descreve o caminho que o público alvo percorre até tornar-se cliente e define em qual estágio comercial o consumidor está. Vamos entender sobre as quatro etapas desse processo:

Descoberta do problema e aprendizado

O consumidor ainda não sabe ou não tem certeza que possui um problema. Nessa etapa são trabalhados os visitantes do site com o objetivo de despertar o interesse em relação ao produto ou serviço que uma empresa oferece. Por esse motivo é necessário prender a atenção e a curiosidade para fazê-lo perceber que se trata de uma boa oportunidade de negócio.

Reconhecimento do problema

Nessa etapa, estamos lidando com os leads, ou seja, com consumidores em potencial, que já demonstraram algum tipo de interesse na oportunidade do negócio. Nessa fase eles já identificaram o problema e por isso, iniciaram uma busca pelas especificidades do tema, aprofundado os conhecimentos sobre o assunto.

Consideração da solução

Após avaliar as possíveis alternativas, o consumidor tido como oportunidade ideal de negócio, começa a etapa de consideração da solução. Aqui ele precisa identificar a empresa como solução perfeita para o problema que ele está enfrentando, entendendo as vantagens e benefícios de tomar a decisão de compra de forma rápida. Caso contrário, ele não entende a importância dessa decisão e pode desistir ou adiar a aquisição.

Decisão de compra

O consumidor está considerando todas as opções disponíveis e comparando vantagens. Nessa etapa, a empresa deve ressaltar todos os diferenciais e mostrar-se como a melhor opção para a solução do problema. Dessa forma,  será possível fechar negócio e conquistar o novo cliente.

As etapas do funil de vendas

Em resumo, o funil de vendas é uma maneira prática de separar o grande volume de contatos recebidos no processo de Inbound para qualificá-los e convertê-los em novas vendas. O funil possui três etapas conhecidas como topo, meio e fundo, e na medida em que a jornada vai evoluindo, diminui-se o número de participantes do processo e aumenta as chances do fechamento de uma venda.

Topo

A primeira fase do funil de vendas, também conhecida como “ToFu” tem o objetivo de educar visitantes e direcionar a descoberta de uma necessidade ou de um problema a ser resolvido. Por esse motivo, é necessário fornecer um bom nível de informação sobre o assunto, no estilo “entenda sobre”, “por que”, “tudo que você precisa saber sobre”, etc.

Meio

Também chamado de Mofu, o meio do funil lida com os leads que necessitam de mais segurança para a tomada de decisão e o reconhecimento da solução adequada para o problema. É nessa fase que o lead procura por auxílio para fazer uma escolha assertiva e por isso, busca pelo amadurecimento da ideia.

Coneúdo adequado para o meio do funil: dar dicas práticas, fornecer dados relevantes e estatísticos, fazer comparativos e listar motivos para considerar a decisão.

Fundo

Se o Lead já demonstrou interesse contínuo e chegou na última etapa do funil de vendas, também chamada de Mofu, significa que ele está bem perto da compra. Por esse motivo, está na hora de convidá-lo para a decisão final: o fechamento da venda. É necessário demonstrar confiabilidade. A produção de conteúdo, então, deve estar focada em mostrar benefícios da empresa (ou do produto), ter uma página de catálogo com as especificações e benefícios dos itens oferecidos ou oferecer avaliações gratuitas e ofertas.

Como fazer um Planejamento de Inbound

Para planejar a implementação de estratégias de Inbound desde zero para a empresa, é fundamental levar em consideração toda a estratégia de Marketing Digital do negócio para programar cada passo de maneira assertiva. Isso porque o marketing de atração utiliza de diversos canais, como site, blog e redes sociais para levar tráfego qualificado às vendas.  Dessa forma, os pontos de conversão e relacionamento com os lead devem ser idealizados de forma estratégica.

Planejamento

O primeiro passo do planejamento completo de Inbound é definição as características do seu público alvo para a criação da persona. Dessa forma é possível entender as peculiaridades do consumidor que pretende-se atingir, para a criação de um conteúdo mais específico e direcionado. Além disso, deve-se definir os principais objetivos a serem alcançados, o que facilitará a definição das metas e medição dos resultados.

O Inbound marketing pode ajudar em diversos desafios que empresas enfrentam no mundo digital, como melhorar a presença e autoridade online, otimizar o relacionamento com clientes, aumentar o número de visitas e novos contatos por meio do site, melhorar o ranqueamento no Google, entre outros. É importante definir qual a prioridade maior e quais são as prioridades secundárias para facilitar a implementação e a prática do método.

Cronograma

Após ter definido o perfil do comprador e os objetivos pretendidos com o Inbound, está na hora de organizar a produção de conteúdo atrativo para a audiência. Agora que você já entendeu os passos da jornada de compra e do funil de vendas, ficou mais fácil criar as pautas do seu blog e das redes sociais e planejar as informações mais específicas – ou até mesmo as maiores dúvidas  – para a produção dos materiais ricos.

Elabore um manual de publicações para definir como será o cronograma de postagens e quais informações estarão contidas nelas. Você pode, por exemplo, criar uma planilha com as divisões dos conteúdos mais adequados para o topo, fundo e meio de funil e fazer uma lista com os assuntos a serem publicados, organizados por diferentes categorias . Depois de tudo pronto, crie um calendário de publicações com as datas das postagens e mãos à obra! Agora é só produzir e compartilhar!

Metas

Para medir os resultados do Inbound Marketing, é necessário definir, desde o início da implementação, as metas de curto e longo prazo. Diferente da definição de objetivos, que são mais abrangentes em relação ao negócio, as metas devem ser mensuráveis a partir de indicadores de performance, ou seja, devem conter indicadores reais, como números e porcentagens.

Por exemplo: caso seu objetivo seja melhorar sua presença e autoridade online, pode estabelecer metas como: aumentar em 500% o tráfego do site, ranquear 5 palavras-chave relacionadas ao seu produto ou alcançar a primeira página do Google em 6 meses. Assim como para otimizar o relacionamento com clientes, as metas podem estar relacionados à porcentagem de clientes que voltaram a realizar uma compra, ao número de avaliações positivas nas redes ou aos dados de abertura de emails de relacionamento.

Coloque o plano em prática

Nesse ponto você já terá tudo que precisa para criar uma estratégia eficiente de Inbound. Para colocar o plano em prática e transformar leads em clientes, lembre-se de se adequar aos canais em que seu público alvo está e não se esqueça de produzir conteúdos de forma constante.

Para ter sucesso, além das postagens frequentes, utilize estratégias de SEO para otimizar o conteúdo e segmente seus clientes de forma mais adequada para sua lógica de vendas.  Assim, você garante a qualidade do conteúdo fornecido à audiência e possibilita, ao final do processo, que a equipe de vendas receba leads prontos para a venda.

Análise dos resultados

Etapa final do marketing de atração, a análise dos resultados de todas as estratégias aplicadas ao longo do processo, é fundamental para entender o que funciona e o que deve ser alterado, seja na fase inicial para atração de leads ou até mesmo no fechamento da venda.

É possível monitorar todos os resultados por meio de ferramentas específicas de Inbound ou automação de marketing, além das disponíveis pelo Google, como o Analytics e o Search Console. Utilizando essas ferramentas, crie relatórios completos com números de acesso e tempo de permanência nas páginas, fontes do tráfego e posicionamento nos mecanismos de busca.

Métricas e resultados do Inbound Marketing

Vimos anteriormente que o Inbound Marketing é uma estratégia focada em resultados,  com a capacidade de analisar todas as ações para, quando necessário, aprimorar a estratégia. Para que isso aconteça, além dos resultados mensuráveis de toda estratégia digital, deve-se utilizar métricas específicas para avaliar, em especial, o custo do processo e o retorno de todo o investimento.

Tempo médio no site e números de visitantes  

Um dos dados mais importantes de ser mensurado no processo do marketing de atração é o número de acessos e visitas no site. Isso porque, já que o objetivo principal é atrair tráfego para uma página e converter visitantes em leads, é essencial acompanhar constantemente os dados de acesso.

Além disso, os números fornecem informações quantitativas aos resultados e também podem ajudar a medir o índice qualitativo dos conteúdos. Quanto maior o tempo médio de permanência em uma página, por exemplo, maior o índice de aceitação de seu conteúdo, já que páginas pouco relevantes têm uma alta taxa de rejeição e baixo tempo de permanência.

ROI

O Retorno sobre o Investimento, também conhecido como ROI, é uma métrica importante para quem deseja por, na ponta do lápis, os resultados do marketing de atração. Esse indicador, apesar de servir para todo tipo de investimento de uma empresa, como publicidades, eventos, infraestrutura, entre outros, se adequa ao Inbound pois é capaz de medir a eficiência da estratégia como um comparador entre os demais investimentos, tais como marketing tradicional e vendas.

Funciona assim: calcule seu faturamento menos o custo do investimento que pretende analisar e divida o resultado pelo custo (R-C)/C. O resultado será um parâmetro sobre o retorno do investimento inicial.

Por exemplo: Vamos calcular o investimento de dois mil reais sobre um faturamento de 100 mil da empresa.

ROI: (100.000 – 5.000) / 5.000 =

ROI: 19

Nesse caso, o retorno sobre o investimento foi de 19 vezes o investimento inicial.

Custo de aquisição de clientes

O CAC, custo de aquisição de clientes, é uma métrica que indica o valor investido por uma empresa no fechamento de novos negócios. Esse investimento pode ser calculado a cada mês, por exemplo, para ter parâmetros do custo de aquisição de cada cliente no período, com o objetivo de provar a efetividade e testar o desempenho do marketing. Para fazer o cálculo, basta dividir a soma de todos os investimentos para aquisição de clientes e dividir o valor pelo número de clientes conquistados no período.

CAC: Soma dos investimentos para aquisição de clientes / número de clientes conquistados

Levar em consideração o CAC para medir o sucesso do Inbound pode ser um dos mais importantes indicativos, já que a aquisição de clientes envolve as equipes de marketing e vendas. Para ter um cálculo assertivo, é necessário considerar todos os valores de custos envolvido nas equipes, tais como: salários, comissões, treinamentos, ferramentas e softwares, anúncios, etc. O resultado será o valor gasto para conquistar cada cliente no período calculado.

Custo por Lead

Seguindo a mesma lógica do cálculo do CAC, o custo por lead é uma métrica que leva em consideração o número de aquisição de leads para calcular as oportunidades geradas pelo Inbound Marketing. O CPL, como é chamado, é o resultado do número de leads gerados ao ser dividido pelo valor do investimento em marketing.

CPL: Investimento em marketing / número de leads gerados

O valor deve ser analisado considerando o total de leads adquiridos no período da análise. Entretanto, esses leads ainda serão trabalhados no processo do Inbound, o que influenciará nos resultados da estratégia, já que um mesmo número de leads ou até mesmo um número menor, pode gerar maiores oportunidades de negócio, dependendo da qualificação.

Customer Lifetime Value (CLV)

Chamado em português de “valor do tempo de vida do cliente”, o CLV é o cálculo de todo o valor gasto com um consumidor durante seu tempo de vida como cliente de uma empresa. Apesar de possuir diversas variáveis e o resultado ideal depender do segmento de cada negócio, o CLV tem sempre que estar com resultado positivo, caso contrário, é um indicador da necessidade de mudanças ou reorganização da verba da empresa.

CLV: Quantidade Média de Transações no Período x Ticket Médio x Ciclo Total de Vida do Cliente x Margem Bruta

Para entender a fórmula: primeiro defina o tempo de vida do seu cliente, para determinar o período do cálculo. A quantidade média de transações é o valor médio de vezes (ao ano) que seu cliente realiza compras no seu negócio, e o ticket médio, o valor médio das vendas por usuário. No ciclo total de vida do produto, coloque o período do tempo de vida do seu cliente e no item margem bruta, a sua margem, em porcentagem, após todos os custos, como transações e frete.

Ferramentas para Inbound Marketing

Para a aquisição de clientes e a produção de conteúdo, canais como site, blog e redes sociais são necessários para converter leads em visitantes com o objetivo de criar novas oportunidades e fechar novas vendas. Mas principalmente para desenvolver e executar estratégias eficientes a nutrição de leads, é necessário o uso de ferramentas profissionais, que possuem funcionalidades específicas e até mesmo essenciais para completar alguma das etapas da metodologia Inbound.

Ferramentas para Análise e Monitoramento

Google Analytics

O Analytics é uma ferramenta gratuita do Google que possibilita o monitoramento de sites a partir de uma análise de dados completa sobre o tráfego das páginas (como o número de visitas, duração da sessão e taxa de rejeição), o perfil dos usuários (como dados demográficos sobre sexo, idade e localização) e os canais de aquisição de tráfego (como redes sociais, e-mail, busca orgânica e busca paga).

Para ser ativado, é necessário inserir um código do Analytics nas páginas que pretende-se monitorar, e dessa forma, rastrear o acesso dos usuários para reunir as informações. Assim é possível medir o desempenho do conteúdo do site, o engajamento e as conversões, conhecendo, então, o comportamento do seu consumidor.

RD Station

Conhecida como uma ferramenta para gerenciar e automatizar estratégias de marketing digital, a RD Station é uma plataforma que auxilia cada uma das etapas da metodologia Inbound, devido aos seus recursos: funções específicas para atração, conversão, relacionamento e análise.

Já que a atração de visitantes depende, especificamente, da produção de conteúdo atrativo, o RD fornece funcionalidades para otimização desses conteúdos e definição de palavras chave. Nas funcionalidades estão disponíveis as criações de landing pages, formulários e pop-ups com o foco na conversão de visitantes em Leads. Da mesma forma que, para o relacionamento com os leads, as funcionalidades de segmentação, disparo de emails e automação de marketing pretendem aproximar o relacionamento do cliente com os possíveis consumidores, com as ajuda do Lead Scoring e Leads Tracking para qualificar de forma assertiva toda a base. Por último, a ferramenta possui uma seção de análise de resultados, fornecendo dados e relatórios sobre o leads, conversões e a efetividade das ações planejadas.

Ferramentas de Email Marketing

SendGrid

Plataforma de serviço de email baseado em nuvem, a SendGrid faz disparos de email em massa e ainda conta com a funcionalidade de emails transacionais (respostas rápidas e automáticas) bastante adequados para empresas que possuem e-commerce. Além disso, a ferramenta disponibiliza relatórios para acompanhamento do desempenho e da efetividade das ações criadas.

MailChimp

Uma das mais conhecidas plataformas email marketing do mercado, a MailChip é gratuita para o disparo de emails para uma base de até 2 mil contatos. Dentre as suas funcionalidades, além dos mailings, também possui opções da criação de automações de email marketing, a possibilidade de realizar teste A/B e a interação com demais ferramentas, como aplicativos de pagamentos ou redes sociais.

Ferramentas SEO

Keyword Planner

O Planejador do Google é um recurso para otimização de conteúdos a partir da escolha adequada das palavras chave. A ferramenta auxilia na seleção dos termos mais apropriados, fornecendo um grupo de palavras de um mesmo campo semântico ou até mesmo sugerindo os termos mais apropriados a partir da url de um site.

Além da otimização dos conteúdos, utilizar o Keyword Planner pode ser o melhor recurso para a organização das estratégias de Inbound, já que as funcionalidades permitem o planejamento de temas ou subtemas para os conteúdos e oferecem o número de buscas realizada com o termo, o que permite a definição estratégica para o ranqueamento.

Search Console

Outra ferramenta gratuita do Google, a Search console, antiga Google Webmaster Tools, é uma plataforma para analisar e monitorar os resultados de um site nas rede de pesquisa do Google. Dentre as várias funcionalidades, estão a possibilidade de medir o desempenho da indexação das páginas, as palavras chave que levam mais tráfego para o site, o ranqueamento das páginas e o número de impressões de cada uma delas por meio das palavras chave utilizadas.

Assim como o Analytics, será necessário instalar o código do Search Console no seu site: faça a integração o quanto antes e comece agora mesmo a analisar, de forma mais assertiva, os resultados da sua página na pesquisas do Google.

Semrush

Assim como as ferramentas do Google, o uso do Semrush é indispensável para a definição de estratégias e otimização de conteúdos de um site. Uma das maiores vantagens da plataforma é a possibilidade de fornecer dados sobre as buscas dos usuários e o desempenho do site dos concorrentes.

Entre as principais funcionalidades está a busca de termos mais relevantes para o seu negócio, o posicionamento do site nas pesquisas orgânicas, os resultados e posicionamento obtido pela concorrência e os dados dos resultados da pesquisa paga.

Ferramentas para Redes Sociais

Buffer

Uma das mais conhecidas ferramentas de gestão de redes sociais como Facebook, Twitter, Linkedin e Instagram, com a Buffer é possível criar, agendar e analisar postagens, o que automatiza a gestão e poupa tempo para a programação. Com a plataforma é possível analisar detalhadamente as métricas de cada post por meio do monitoramento social, identificando, ainda, as melhores horas para o compartilhamento do conteúdo.

Hootsuit

Uma das ferramentas mais utilizadas do mercado e capaz de gerenciar várias redes ao mesmo, a Hootsuit ajuda a monitorar grande número de redes sociais, incluindo Vimeo, Tumblr, Flickr, etc. A gestão das redes com a plataforma possibilita o agendamento, o monitoramento e a criação de relatórios completos sobre o desempenhos das postagens de cada um dos perfis monitorados.

Vantagens em aplicar o Inbound Marketing em seu Negócio

Se você chegou até aqui, deve ter percebido quais são as inúmeras possibilidades das estratégias de Inbound Marketing para o crescimento e estabelecimento de um negócio no mercado digital. Mas, apesar de parecer complexo ou trabalhoso, quando feito por quem entende do assunto, o Inbound fornece resultados assertivo, sendo umas das estratégias digitais mais vantajosas no momento. Vamos entender porque?

O Inbound Marketing é 67% mais barato que o Outbound marketing, o marketing tradicional. Além do custo menor por oportunidade de negócio, a aquisição de audiência qualificada possibilita que o processo de vendas seja acelerado, já que oferece a solução para um problema – e não um produto – facilitando o cliente a viabilizar e disponibilizar verba.

Outro ponto importante é a qualidade da atração por meio do conteúdo, pois o poder de persuasão do Inbound cria uma relação mais próxima com o visitante, fazendo com que ele se torne um promotor da marca. Dessa forma, é possível alcançar resultados permanentes ao negócio, tornando-se autoridade no segmento.  

Além disso, a produção de conteúdo atrativo do Inbound também viabiliza o ranqueamento nas primeiras posições do Google, já que a criação de um blog cria 97% mais links apontados para a própria página, aumentando as chances de ser encontrado por meio da pesquisa de palavras chave, comprovando o fato de a estratégia de Inbound ter 275% de retorno sobre o investimento.

Tendências Inbound 2018

O meio digital oferece a facilidade e a rapidez para que estratégias, processos e ferramentas estejam em constante mudança. Levando em consideração a evolução do marketing de atração, selecionamos as maiores tendências para o ano de 2018 que você não pode deixar de realizar:

Investir em Guest Post

Apesar de já ser bastante utilizada, a prática de Guest Post, ou seja, trocar conteúdo com outro site relevante ou até mesmo com um profissional especializado no assunto abordado no conteúdo, terá mais força em 2018. Isso porque as vantagens de se utilizar conteúdo de convidados são inúmeras: alcançar uma nova audiência, maior poder de divulgação, reconhecimento do mercado, aumento da relevância  por meio da indicação e parceria, manter uma boa frequencia de postagem, etc.

Criar conteúdo profundo, inédito e personalizado

Uma das principais tendências do marketing de atração está relacionada à qualidade do conteúdo produzido. Quando um texto possui grande volume de informação, é mais provável que ele solucione de maneira mais eficiente a dúvida do leitor. Além disso, um conteúdo relevante e que produza real valor para a audiência, deve ser mais específico e personalizado, dessa forma, será considerado pelo Google um conteúdo de alta qualidade, levando em consideração a boa experiência do usuário.

Ter interação por diversos formatos

Uma boa estratégia de Inbound, além de produzir conteúdo atrativo para a audiência, pretende utilizar da persuasão para solucionar o problema do consumidor, e não somente vender o produto. Por esse motivo é cada vez mais frequente a utilização de diversos formatos para facilitar a interação com o usuário. Dentre esses formatos, além dos textos, as imagens, como os infográficos, podcasts ou conteúdos em áudio e em especial os conteúdos em vídeo poderão dominar as redes em 2018.

Investir no acesso mobile

A produção de conteúdo voltado para os dispositivos móveis já é uma realidade. Desde que os números de acesso mobile ultrapassaram os do desktop, a atenção foi redobrada para a qualidade da experiência dos usuários desses aparelhos, após as mudanças do Google no processo de indexação de páginas, priorizando a versão mobile para o ranqueamento. Mais do que possuir uma boa navegação e design responsivo, é necessário criar uma espécie de marketing para mobile, levando em consideração as especificidades da audiência, como, por exemplo, a geolocalização do usuário.

Dúvidas frequentes

  1. O Inbound Marketing é para todas as empresas?

É claro! Não importa o tamanho do negócio ou do objetivo principal com as estratégias de Marketing Digital, o Inbound pode e deve ser implementado tanto para pequenas quanto para médias e grande empresas. Independente do produto ou serviço que a empresa oferece ou se o negócio é B2B ou B2C, a metodologia Inbound é aplicável, já que toda compra passa por um processo de decisão, e podendo colocar em prática a jornada e o funil para definir estratégias de atração.

 2. Qual a diferença entre Outbound e Inbound Marketing?

O Outbound Marketing, ao contrário do Inbound, nada mais é do que o marketing tradicional, em que há um esforço de ir atrás do cliente em um processo ativo, com o uso de prospecção e todo tipo de anúncio publicitário, como em mídias tradicionais, outdoor, mala direta, eventos e até mesmo as campanhas online. Dentre as diferenças mais marcantes do Inbound para o Outbound, além das vantagens de não interrupção da mensagem e gerar interesse na audiência, está a construção de valor ao produto ou serviço da empresa e a relação do processo de comunicação bilateral entre a empresa e o consumidor, o que não acontece no Outbound.

 3. Como se chama o profissional de Inbound Marketing?

O marketing de atração tem dominado o mercado digital, surgindo uma alta demanda por profissionais especialistas no assunto. O ideal para este profissional é a que sua formação seja em comunicação e que tenha experiência em marketing digital. Além disso, o profissional deve ter a capacidade de atrair o cliente de forma criativa e persuasiva por meio de conteúdo relevante, além de saber relacionar-se com o público e metrificar os resultados das estratégias de cada uma das etapas. Um profissional com essas características será um Analista de Inbound Marketing!

 4. Qual a relação de Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo?

Vimos ao longo deste artigo que o foco do Inbound está relacionado no fornecimento conteúdo relevante como meio de atração de visitantes para um negócio. Por esse motivo, a relação entre as duas estratégias não pode ser considerada de distinção nem igualdade, já que são conceitos complementares. Isso porque o Inbound é uma estratégia ampla e mais completa, que utiliza do marketing de conteúdo como principal meio de atração, conversão e relacionamento com os clientes.

Gostou de saber um pouco mais sobre Inbound Marketing? Para aprofundar seus conhecimentos em estratégias digitais, baixe o e-book Marketing Digital: passo a passo para iniciantes.

Por: Anelisse Cota Goulart

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *